quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Textos da Investidura 16.11.12

 

Palavras do Grão Prior - Por ocasião da Investidura de 16.11.2012

 

Querido Irmão João,

 

Quisera eu, escrevendo umas linhas, traduzir toda minha estima e simpatia pelo tremendo esforço que estais fazendo na consolidação da Ordem no Brasil. Esforço do qual o Grão Mestre está totalmente informado.

 

Ademais, com relação aos atos de investidura que ides celebrar e para os quais estais plenamente capacitado por autorização expressa de S.E. Don Fernando e por mim mesmo, quero dirigir umas palavras aos novos irmãos que a partir de agora nos acompanharão no caminho e com os quais oraremos em comunhão.

 

"Irmãos, é um grande passo o que dais e é um grande esforço o que vos espera. O caminho nunca foi fácil, mas caminhá-lo vale a pena. Sabeis que embora distantes físicamente não há distância entre almas irmãs e, portanto, apesar de não poder estar aí nessa ocasião, meu coração e minhas orações estão convosco nesses dias felizes de irmandade e cerimonial.

 

Peço-vos que nunca esqueçais o compromisso interno que contraístes com os irmãos e convosco mesmos. Lembrai-vos sempre as palavras da investidura tradicional, nas quais invocando os irmãos que nos antecederam para ajuda no caminho, pedimo-vos que sejais justos, sábios e leais.

 

Que assim seja.

 

Josep Juan Buixeda

ORDEN SOBERANA Y MILITAR

DEL TEMPLE DE JERUSALEM

         Legado Magistral

                    Prior

Gran Priorato de España"

 

 

------------------------------------------------

 

 

Palavras do Comendador

 

HOMILIA DA INVESTIDURA – 16.11.2012

Breves palavras por ocasião da Missa em Ação de Graças pela Investidura da II turma de Templários formada pela TempleBrasil, com o beneplácito do "Gran Priorato de España - Priorato Magistral de la OSMTJ" - Ordem Soberana e Militar do Templo de Jerusalém - OSMTH - Porto - Portugal.

 

Autoridades eclesiásticas, autoridades militares e civis, distinta assistência:

 

O nosso sincero agradecimento por prestigiarem essa cerimônia em que rendemos graças aos Céus pelo transcurso e sucesso na formação de novos Cavaleiros Templários, culminando com a Investidura dos mesmos.

 

No ano passado, nessa mesma ocasião, falamos de como podemos atuar nos dias de hoje para a consecução dos preceitos emanados de nosso Grande Mestre, Nosso Senhor Jesus, o Cristo, preceitos esses enunciados com grande profundidade e significados no Evangelho de João, o Apóstolo.

 

Hoje traremos a público um dos cânones de nossa Ordem, aquele que nos orienta e dá a forma de proceder como Monges e Guerreiros Cristãos - o LIVRO DA CAVALARIA, de Ramón Llúlio.

 

"Todo Cavaleiro deve saber e praticar as VII Virtudes:

 

Fé, Esperança, Caridade, Justiça, Prudência, Fortaleza e Temperança.

 

+ A primeira porque sem Fé o Cavaleiro não pode saber nem entender as coisas invisíveis

+ A segunda porque na Esperança está o poder de Deus, não na força nem nas armas do Cavaleiro.

+ A terceira porque sem a Caridade, que é o amor, o Cavaleiro será cruel e não terá piedade  nem misericórdia.

+ A quarta porque sem a Justiça um Cavaleiro é injurioso e ofensivo, pelo que destrói a si próprio.

+ A quinta porque sem a Prudência o Cavaleiro cairá nas faltas corporais e espirituais e não terá raciocínio, nem entendimento, nem vontade para manter a honra da Cavalaria.

+ A sexta porque sem a Fortaleza o Cavaleiro cairá na soberbia, na ira, na cobiça, na gula, na inveja e na luxúria, porque todas elas engendrarão fraquezas no coração e não lhe farão digno de ser amado. A força corporal não é nada sem a Humildade e a Caridade, e a ira intumesce o entendimento, perturba o espírito e expulsa de si a iluminação.

+ A sétima porque sem a Temperança não terá medida no comer, beber, falar, vestir e porque sem essa Virtude não se honra a Cavalaria.

A prática de todas elas conduzirão ao Conhecimento e à Sabedoria, porque procedem de Deus."

 

Para concluir, nossa regra original, quando da fundação da Ordem em 1118 em Jerusalém, teve como base a regra dos Agostinianos que, posteriormente, em 1128, no Concílio de Troyes - França, a pedido de seu fundador, Hughes de Payens, teve as mesmas revistas e adaptadas à realidade da época por São Bernardo de Claraval, um dos Doutores da Igreja, sendo aprovada pelo Papa Honório II.

 

Um pouco da história da Ordem para o grande público, agora que estamos experimentando um crescimento bastante intenso no interesse pelo Templarismo, se fazia necessário, pois ainda existem aqueles que relutam e nos taxam de hereges e proscritos, apesar da publicação do livro "Processo contra Templarios", em 28 de Outubro de 2008, por SS Papa Bento XVI, onde taxativamente afirma que tudo não passou de uma grande farsa engendrada pelo Rei da França.

 

Tal como prescrito no Concílio Ecumênico Vaticano II (Decreto "Unitatis Redintengratio" sobre o ecumenismo, de 21 de Novembro de 1964), pregamos e praticamos o ecumenismo Cristão, aceitando em nossas fileiras cristãos de outras confissões - Anglicanos, Ortodoxos, Luteranos, Bizantinos, Coptas, Maronitas, Adventistas, Presbiterianos e todas as demais confissões que têm Nosso Senhor Jesus, o Cristo, como Mestre Maior e adotam a prática do Batismo.

 

Por hoje, era o que tínhamos a acrescentar.

 

MUITO OBRIGADO

 

"NON NOBIS DOMINE, NON NOBIS, SED NOMINI TUO DA GLORIAM."

 

 

Fr. +João J, Baptista Neto

            Comendador

Comendadoria do Rio de Janeiro - Brasil

 

Fr. +João Baptista Neto

         Comendador